A relevância dos Vistos Gold para o imobiliário residencial português.



Num ano de transição do quadro legal do programa nacional de Vistos Gold, o valor médio mensal dos dois primeiros meses do ano de atribuição de ARI caiu 29% em relação à media mensal do ano anterior.


Passageiro, ou um mau prenuncio? E qual será o real impacto que a mudança legal (decisão política...) poderá ter no investimento em imobiliário nacional?

A IMOBINTEL fez as contas para si.


Partindo de dados oficiais (SEF) referentes ao montante gasto nos últimos 4 anos na aquisição de imóveis por não residentes foi, em média, 745 milhões de euros/ano e sabendo que o perfil deste investimento imobiliário é predominantemente residencial, estimamos um valor perdido máximo de 670 milhões de euros/ano por efeito deste mecanismo.


Há também uma porção de não residentes que investem no imobiliário nacional sem solicitarem um Visto Gold - cerca de 25% em média compra imóveis que lhe possibilitariam obter uma ARI, mas não o fazem. Para além disto, sabemos (dados do INE) que o peso total do investimento de não residentes em imobiliário nacional ronda os 13% anualmente.


Visto assim, no panorama nacional o investimento estrangeiro parece ter pouco peso...


No entanto, há que ter em conta que o impacto não será uniforme no país, porque (segundo o SEF) o interesse típico pelo programa varia regionalmente. Sendo muito forte em Lisboa e Algarve, mas muito fraco no Porto (e praticamente inexistente no resto do país).


Segundo os nossos cálculos (com base em dados do SEF), as perdas de investimento máximas estariam distribuídas assim:

- Lisboa: - 300 milhões/ano

- Algarve: -180 milhões/ano

- Porto: - 7 milhões/ano


Ou seja, salvaguardando uma análise micro (rua a rua, zona a zona) o impacto no investimento em imobiliário residencial no Porto será negligenciável, mas em Lisboa nem tanto!


The relevance of Gold Visas for Portuguese residential real estate


In a year of transition from the legal framework of the national Gold Visa program, the average monthly value of the first two months of the ARI attribution year fell by 29% compared to the monthly average of the previous year.


Passenger, or a bad omen? And what will be the real impact that the legal change (political decision ...) may have on investment in national real estate?

IMOBINTEL did the math for you.


Starting from official data (SEF) referring to the amount spent in the last 4 years in the acquisition of real estate by non-residents was, on average, 745 million euros / year and knowing that the profile of this real estate investment is predominantly residential, we estimate a maximum lost value 670 million euros / year as a result of this mechanism.


There are also a number of non-residents who invest in national real estate without applying for a Gold Visa - about 25% on average buys real estate that would enable them to obtain an ARI, but they do not. In addition, we know (INE data) that the total investment weight of non-residents in national real estate is around 13% annually.


Seen like this, in the national panorama, foreign investment seems to have little weight ...


However, it must be borne in mind that the impact will not be uniform in the country, because (according to SEF) the typical interest in the program varies regionally. Being very strong in Lisbon and Algarve, but very weak in Porto (and practically nonexistent in the rest of the country).


According to our calculations (based on SEF data), the maximum investment losses would be distributed as follows:

- Lisbon: - 300 million / year

- Algarve: -180 million / year

- Porto: - 7 million / year


In other words, safeguarding a micro analysis (street by street, zone by zone) the impact on investment in residential real estate in Porto will be negligible, but in Lisbon not so much!

11 visualizações
  • Black LinkedIn Icon

IMOBINTEL

Rua da Lionesa, 446, Ed. C12

Portugal

info@imobintel.pt

929 075 128

©2020 by Imobintel. Desenvolvido por Comunicadores & Associados