Covid19 e o Imobiliário, vamos ter efeitos a médio prazo?




Certamente que, à semelhança de outras actividades económicas, o imobiliário e as actividades que lhe estão associadas irão sofrer consequências com o surgir do Covid19.


Para além da necessidade de todas as actividades desenvolvam medidas de contenção e de protecção dos seus colaboradores, pois trata-se de uma medida de responsabilidade social mais do que nunca, outros cenários podem vir a desenvolver-se com o decurso e o evoluir da situação da pandemia.


Nomeadamente caso haja a necessidade de haver uma paralisação generalizada das actividades por um período de tempo limitado, como medida de contenção e mitigação da doença protegendo os cidadãos, aliás à semelhança do que já tem ocorrido em outros países, haverá a necessária paragem de produção e desenvolvimento de muitas das actividades relacionadas com este sector.

Aqui enquadram-se as questões dos atrasos eventuais na construção e conclusão de projectos, a gestão de recursos e de mão de obra, para além as eventuais efeitos que possa vir a haver nas cadeias de distribuição e fornecimento.


Mas mantendo a esperança que as medidas já tomadas possam ter os efeitos desejados e que vão permitir de alguma forma controlar e reduzir a disseminação do vírus, alguns cenários podem iniciar o seu desenvolvimento, sendo que neste momento já podemos considerar que se trata de um "cisne negro" sobre o qual há a necessidade de iniciar a avaliação das consequências de medidas que podem vir a ser desenvolvidas.

Mas para isso há que começar por elencar situações que podem decorrer dos pressupostos conhecidos.


Por exemplo:

  • o aumento dos prazos de conclusão de projectos que se encontram em desenvolvimento;

  • a redução da actividade no turismo e o impacto que poderá ter no parque habitacional que se lhe encontra associado;

  • o impacto económico da pandemia, nomeadamente com o surgimento de uma desaceleração generalizada do crescimento económico;

  • a quebra da procura interna e ou externa decorrente deste cenário;

  • quais as medidas de mitigação dos efeitos da pandemia pelas autoridades e suas políticas económicas, e qual o seu alcance e real aplicação;

  • etc.


Depois de identificados esses factores, aproveitar o período de "aparente paragem", para iniciar os planos de desenvolvimento de soluções e estratégias a serem desenvolvidas e implementadas com a entrada na normalidade, independentemente do tempo que decorra até lá.


No entanto, e caso as autoridades nacionais e o comportamento generalizado do público permitam uma contenção e rápida recuperação (à semelhança do que foi possível no território de Macau), alguns destas "Ameaças e Pontos Fracos" poderão tornar-se vantagens competitivas face a outras nações, mantendo o interesse no território e nos produtos imobiliários, por inerência, por razões adicionais às que havia antes do surgimento do Convid19.


Por outro lado, e como referia um responsável, o tempo passado em casa, mesmo para quem está em regime de tele-trabalho, está a proporcionar a possibilidade de pesquisa e há um crescimento da procura no plano digital pelas soluções disponíveis no imobiliário.

Cabe aqui às empresas não deixarem de aproveitar, por exemplo, este momento, e começar a trabalhar um pouco mais "fora da caixa".


Estas são muitas das questões que foram colocadas pelo Idealista em entrevista a vários responsáveis da área.


Talvez a fase menos boa do momento proporcione oportunidade de reavaliar situações e cenários, permitindo mesmo ganhos de competitividade face a outros mercados, não permitindo a perda de potenciais clientes.

Saibamos ser proactivos e desenvolver e desenhar estratégias. Questão para a qual a Imobintel está pronta a desempenhar o seu papel.


E qual a sua opinião relativamente aos cenários e impactos no futuro do sector?

Deixe o seu comentário...


Certainly, like other economic activities, real estate and the activities associated with it will suffer consequences with the emergence of Covid19.


In addition to the need for all activities to develop measures to contain and protect its employees, as it is a measure of social responsibility more than ever, other scenarios may develop with the course and the evolution of the situation of the pandemic.


In particular, if there is a need for a generalized shutdown of activities for a limited period of time, as a measure of containment and mitigation of the disease, protecting citizens, in fact, similarly to what has already occurred in other countries, there will be the necessary stoppage of production and development of many of the activities related to this sector.

Here are the issues of eventual delays in the construction and completion of projects, the management of resources and labor, in addition to the possible effects that may have on the distribution and supply chains.


But maintaining the hope that the measures already taken can have the desired effects and that they will somehow allow to control and reduce the spread of the virus, some scenarios can start its development, and at this moment we can already consider that it is a " black swan "on which there is a need to start assessing the consequences of measures that may be developed.

But for that, it is necessary to start by listing situations that may arise from known assumptions.


For example:

  • increasing the deadlines for completing projects that are under development;

  • the reduction in tourism activity and the impact it may have on the housing stock associated with it;

  • the economic impact of the pandemic, namely with the appearance of a generalized slowdown in economic growth;

  • the fall in domestic and / or external demand resulting from this scenario;

  • what are the measures to mitigate the effects of the pandemic by the authorities and their economic policies, and what is its scope and actual application;

  • etc.


Once these factors are identified, take advantage of the "apparent stop" period, to start the development plans for solutions and strategies to be developed and implemented with the entry into normality, regardless of the time that elapses until then.


However, if national authorities and general public behavior allow for containment and rapid recovery (as was possible in the territory of Macau), some of these "Threats and Weaknesses" could become competitive advantages over others nations, maintaining interest in the territory and in real estate products, inherently, for reasons additional to those that existed before the appearance of Convid19.


On the other hand, and as a person in charge said, the time spent at home, even for those on tele-work, is providing the possibility of research and there is a growing demand in the digital plan for solutions available in real estate.

It is up to the companies here to take advantage of this moment, for example, and start working a little more "outside the box".


These are many of the questions that were asked by Idealista in an interview with several officials in the area.


Perhaps the least good phase of the moment provides an opportunity to reassess situations and scenarios, even allowing for gains in competitiveness vis-à-vis other markets, not allowing the loss of potential customers.

We know how to be proactive and develop and design strategies. Question for which Imobintel is ready to play its part.


And what is your opinion regarding the scenarios and impacts on the future of the sector?

Leave your comment ...

5 visualizações
  • Black LinkedIn Icon

IMOBINTEL

Rua da Lionesa, 446, Ed. C12

Portugal

info@imobintel.pt

929 075 128

©2020 by Imobintel. Desenvolvido por Comunicadores & Associados