Estará a nascer uma nova vaga de investimento no imobiliário residencial?

Atualizado: 1 de Abr de 2020



Segundo a Bloomberg o mercado londrino de arrendamento indiciou poder estar a desenvolver-se uma nova tendência para o investimento imobiliário residencial dos centros das cidades: desde o dia 9 de Março que o numero de propriedades anunciadas para arrendamento de longa duração nestas áreas cresceu 45% e, simultâneamente, os preços pedidos para os alugueres desceram 10%.


Segundo a mesma notícia, este facto terá sido devido à forte quebra da procura turística, que promete deixar vazios muitos dos espaços de alojamento local da cidade (o Finantial Times refere já uma quebra de 40% de novas reservas), lançando na incerteza os proprietários em relação a receiteis futuras, estando estas correlacionadas com a duração das actuais restrições à movimentação de pessoas devido ao surto de Covid-19.


Se este cenário de procura turística diminuída se mantiver por um período longo, tanto o retorno dos investimentos imobiliários (que até há pouco tempo eram tidos como "a galinha dos ovos de ouro"), como a viabilidade de todos os serviços de apoio, essenciais para o bom funcionamento do negócio do alojamento local (maioritariamente micro empresas de gestão operacional de AL, restaurantes, estabelecimentos de diversão, passeios turísticos, etc.), estarão postos em causa.


Assistiremos então a uma rotação da finalidade de muitas destas propriedades residenciais, do aluguer de curta-duração, para o convencional de longa-duração, e a um consequente movimento de reposicionamento estratégico de activos residenciais. O que representaria uma nova vida (mais equilibrada) para os centros das nossas cidades e traria uma boa oportunidade para as cidades poderem finalmente satisfazer as necessidades das suas famílias de classe média.


Esta crise, poderá pois bem ser a porta de entrada para novos projectos residenciais nos centros das cidades, com outras arquitecturas e áreas, a outros preços e com outros investidores (ou os mesmos, reposicionados!).


Aguardemos pelos próximos meses para comprovarmos a dimensão real do impacto da pandemia Covid-19 na economia mundial e na facilidade (e na vontade) de deslocação de pessoas para fora das suas áreas de residência - em particular com recurso a transporte aéreo.


*A IMOBINTEL dispõe de competentes serviços de planeamento estratégico e de comunicação/marketing, capazes de revelar aos seus clientes qual o melhor posicionamento para os seus activos imobiliários e de encontrar a melhor estratégia para os colocar com sucesso no mercado. Consulte-nos!